estupro

Treinador é condenado à prisão por estuprar alunas de escolinha de futebol de São Sebastião do Anta

 

O treinador de uma escola de futebol feminino, de São Sebastião do Anta, foi condenado a 40 anos de prisão, em regime fechado, por estupro de vulnerável contra vítimas de 12 e 13 anos. O condenado não poderá recorrer da sentença em liberdade, sendo mantida a prisão preventiva.

 

Segundo apurado, o treinador de 29 anos cometeu os crimes contra alunas que participavam do projeto social onde ele atuava. A Justiça entendeu que ficou provado o cometimento de estupro, mais de uma vez, contra as menores.

 

 

A investigação teve início quando uma das vítimas fez uma denúncia ao Conselho Tutelar, em junho. Um dos crimes foi filmado por ele, usando o celular. Através de conversar pelo WhatsApp, o treinador também enviava mensagens com convites para que elas fossem até a casa dele buscar presentes caros. Conforme a Polícia Civil, o acusado se dizia amigo de muitas crianças e adolescentes que praticavam esportes em São Sebastião do Anta e era frequentador assíduo da igreja.

 

 

O 2ª Vara Cível, Criminal e da Infância e da Juventude da Comarca de Inhapim acolheu integralmente a denúncia do Ministério Público, que resultou na condenação de 40 anos de prisão. Além do tempo de reclusão, o homem deverá pagar R$ 10 mil a cada uma das vítimas a título de indenização por danos morais.

 

 

O professor ainda é investigado por engravidar um adolescente no Espírito Santo.

 

* Imagem ilustrativa

H

Avó condenada a 19 anos de prisão por estuprar netos é capturada em Inhapim

A Polícia Civil de Inhapim cumpriu um mandado de prisão que tinha como alvo uma mulher de 54 anos. Ela foi condenada pelos crimes de estupro de vulnerável e satisfação da lascívia mediante presença de crianças, por diversas vezes. Ela é avó das vítimas.

 

Ciente da existência do mandado de prisão, a Policia Civil levantou informações a respeito do paradeiro da condenada e conseguiu prendê-la no distrito de Bom Jesus do Rio Preto, zona rural de Inhapim.

 

Os fatos que levaram à condenação da mulher ocorreram em 2021, quando ela, junto de seu ex-marido, abusava sexualmente dos netos, principalmente da menina. Segundo apurado, a mulher obrigava dois irmãos a praticarem atos libidinosos entre si. Eles também tinham que assistir aos atos sexuais praticados por ela e o marido.

 

Por esses fatos, a mulher foi condenada a 19 anos, 8 meses e 7 dias de prisão, a serem cumpridos em regime fechado.

H