prefeitura

Balanço dos últimos quatro anos aponta redução de acidentes de trânsito em Caratinga

 

A Prefeitura de Caratinga divulgou um levantamento sobre acidentes de trânsito no município, abrangendo o período de 2018 a 2022, que apontou uma tendência geral de diminuição dos acidentes. Conforme os estudos, essa redução, em grande parte, pode ter sido influenciada pelas restrições de circulação impostas pela pandemia da COVID-19.

 

 

Praticamente não houve alteração dos números nos anos de 2018 e 2019, quando foram registrados 1.797 e 1.760, respectivamente. Em 2020, os acidentes reduziram um pouco para 1.749. Os anos seguintes, 2021 e 2022, continuaram demonstrando tendência de redução, com 1.674 e 1.632 acidentes, respectivamente.

 

 

No que diz respeito à localização, a maioria dos acidentes ocorreu na zona urbana, com destaque para as avenidas Olegário Maciel e Catarina Cimini, no centro. Enquanto a zona rural registrou um número bem menor de ocorrências, totalizando apenas 276 casos.

 

 

Os dados coletados pela prefeitura são úteis para planejar medidas de segurança viária e campanhas de conscientização, contribuindo para um trânsito mais seguro.

H

Instituição de defesa das religiões afro-brasileiras acusa prefeito de Caratinga de racismo religioso

O prefeito de Caratinga, Welington Moreira, está sendo acusado de racismo religioso. Um documento divulgado nessa terça-feira (4) aponta que a administração municipal impôs restrições para liberar alvará de funcionamento para a Tenda Espírita Umbandista Nossa Senhora da Conceição. O advogado e coordenador executivo do Instituto de Defesa dos Direitos das Religiões Afro-Brasileiras (IDAFRO), Hédio Silva Júnior, disse que vai requerer uma representação criminal por improbidade administrativa, reparação de danos morais em favor do responsável pelo terreiro e, eventualmente, pedido de impeachment.

 

 

Entre as imposições para liberar o alvará estão proibição da linha de culto Exu, do uso de bebida alcoólica, de embriaguez, do funcionamento depois das 21h50 e da presença de menores de 14 anos, além da exigência de som de atabaque mais baixo. As regras, segundo a prefeitura, deverão ser fixadas em local visível.  Além disso, o alvará teria validade apenas até maio ao invés de um ano, como de costume.

 

 

 

 

De acordo com o advogado da Idhafro, Hédio Silva, proibir o uso de bebida alcoólica no rito umbandista seria o mesmo que vetar o vinho na celebração das missas na igreja católica. Ele informa que o caso vai ser tratado como racismo religioso.

 

Prefeitura se manifesta

Em nota, a Prefeitura de Caratinga disse que as observações inseridas no documento foram feitas há vários anos no modelo padrão utilizado para emissão de alvará para entidades desta natureza. Segundo a prefeitura, nunca houve, até então, nenhum questionamento oficial ou extraoficial por nenhuma entidade congênere. Por esta razão, a informação se manteve no sistema e era impressa toda vez que se atualizava o alvará.

 

 

Este procedimento é feito pela Secretaria de Planejamento e Fazenda, através do Departamento de Tributação. A nota da assessoria do município afirma que o chefe do executivo não tinha conhecimento do fato.  Dr. Wellington só teria tido conhecimento desta informação através do ofício enviado pela vereadora Giuliane Quintino Teixeira. Imediatamente, ainda segundo a prefeitura, após orientação da procuradoria municipal, foi determinado ao Departamento de Tributação que excluísse as restrições em todos os alvarás emitidos para centros espíritas.

 

 

O poder executivo reafirma seu respeito à liberdade religiosa, direito fundamental da sociedade, conforme estabelece a Constituição Federal. De forma legal e dentro do que lhe compete, o município de Caratinga sempre cumpriu o seu dever legal de proteger e garantir o livre exercício de todas as religiões – encerra o documento.

 

 

 

 

O assunto levado a público nesta quarta-feira está sendo abordado em diferentes veículos de imprensa e redes sociais.

 

H

Prefeitura de Caratinga notifica Copasa por causa de buraco nas ruas

A Prefeitura de Caratinga informou nesta noite (17) que solicitou formalmente à Copasa a execução do convênio de recomposição de pavimento no município. A empresa tem a responsabilidade de realizar essas operações nos locais onde são feitas perfurações para manutenção da rede de esgoto e de fornecimento de água. São diversos locais onde a companhia fez intervenções e não recompôs o pavimento, segundo a prefeitura, o que vem gerando transtornos para a população, ainda mais neste período chuvoso.
No documento a prefeitura solicita também que, nos locais onde já foram realizadas as recomposições e houve desgaste ou o reparo não foi satisfatório, o trabalho seja feito novamente para restabelecer as mesmas características do pavimento anterior.

H